quinta-feira, 29 de julho de 2010

And the Oscar, ops the Emmy goes to....


No dia 29 de agosto acontecerá a 62ª edição da premiação que pode ser considerada o "Oscar da TV". Estou falando da 62ª Edição do Emmy Awards. O pontapé inicial já foi dado, no dia 8 de julho saiu a lista com todos os indicados, em 96 categorias. Nesse ano, liderando as indicações temos: The Pacific, Glee, Mad Man e Modern Family. Quem comandará o espetáculo da entrega dos prêmios será o comediante, escritor e apresentador Jimmy Fallon ( Late Night with Jimmy Fallon, NBC).

A primeira cerimónia de premiação dos Prémios Emmy foi realizada a 25 de Janeiro de 1949, no Hollywood Athletic Club. O nome "Emmy" foi utilizado como uma feminização de "immy", um apelido usado para tubos de imagem que eram encontrados com facilidade nas primeiras câmeras de televisão. Shirley Dinsdale foi a primeira pessoa premiada com um Emmy na primeira cerimônia.

Vamos agora mostrar alguns indicados em suas categorias:



Melhor série do gênero: Drama

Mad Men
The Good Wife
Lost
Dexter
Breaking Bad
True Blood



Melhor atriz do gênero: Drama

January Jones, da série Mad Men.
Julianna Margulies, da série The Good Wife.
Kyra Sedgwick, da série The Closer.
Mariska Hargitay, da série Law & Order: SVU.
Glenn Close, da série Damages.
Connie Britton, de Friday Night Lights.



Melhor ator do gênero: Drama

Jon Hamm, da série Mad Men.
Matthew Fox, da série Lost.
Michael C. Hall, da série Dexter.
Bryan Cranston, da série Breaking Bad.
Hugh Laurie, da série House.
Kyle Chandler, de Friday Nigh Lights.



Melhor série do gênero Comédia

Glee
Modern Family
30 Rock
The Office
Nurse Jackie
Curb you Enthusiasm



Melhor atriz do gênero Comédia

Lea Michele, da série Glee.
Tina Fey, da série 30 Rock.
Edie Falco, da série Nurse Jackie.
Toni Collette, da série The United States of Tara.
Amy Poehler, da séris Parks and Recreation.
Julia Louis Dreyfuss, da série New Adventures of Old Christine.



Melhor ator do gênero Comédia

Matthew Morrinson, da série Glee.
Alec Baldwin, da série 30 Rock.
Steve Carell, da série The Office.
Jim Parsons, da série The Big Bang Theory.
Larry David, da série Curb your Enthusiasm.
Tony Shalhoub, da série Monk.



Melhor programa de auditório

The Daily Show with Jon Stewart
Saturday Night Live
The Colbert Report
Tonight Show with Conan O’Brien
Real Time with Bill Maher



Melhor Reality show de competição

Dancing with the Stars
Project Runway
American Idol
Amazing Race
Top Chef



Melhor Minissérie

The Pacific
Return to Cranford



Melhor filme para TV

You don’t know Jack
Moonshot
Masterpiece Daybreak
Georgia O’Keeffe
Temple Grandin
The Special Relationship




Melhor atriz coadjuvante do gênero Drama

Elisabeth Moss, como Peggy Olson em Mad Men
Christina Hendricks, como Joan Harris em Mad Men
Archie Panjabi, como Kalinda Sharma em The Good Wife
Christine Baranski, como Diane Lockhart em The Good Wife
Rose Byrne, como Ellen Parsons em Damages
Sharon Gless, como Madeline Westen em Burn Notice




Melhor ator coadjuvante do gênero Drama

John Slattery, como Roger Sterling em Mad Men
Martin Short, como Leonard Winstone em Damages
Michael Emerson, em Ben Linus em Lost
Terry O’Quinn, como John Locke em Lost
Aaron Paul, como Jesse Pinkman em Breaking Bad
Andre Braugher, como Owen em Men of a Certain Age



Melhor atriz coadjuvante do gênero Comédia

Julie Bowen, como Claire Dunphy em Modern Family
Sofia Vergara, como Gloria Delgado-Pritchett em Modern Family
Jane Lynch, como Sue em Glee
Jane Krakowski, como Jenna Maroney em 30 Rock
Holland Taylor, como Evelyn Harper em Two and a Half Men
Kristen Wiig de Saturday Night Live



Melhor ator coadjuvante do gênero Comédia

Ty Burrell, como Phil Dunphy em Modern Family
Jesse Tyler Ferguson, como Mitchell em Modern Family
Eric Stonestreet, como Cameron em Modern Family
Chris Colfer, como Kurt Hummel em Glee
Neil Patrick Harris, como Barney Stinson em How I Met your Mother
Jon Cryer, como Alan Harper em Two and a Half Men



Confira a lista completa dos indicados às 96 categorias do Emmy Awrds 2010 e assista a cerimônia de divulgação dos indicados na íntegra, acessando: Emmys TV

Então é isso. Daqui a um mês torçam para seus programas, séries e atores preferidos ;)

Eu amo Bad Guys

 Ele é bonito. Ele é estiloso. Ele é sexy. Ele é romântico. Ele é sagaz. Ele é Caffrey, Neal Caffrey. Ele é um prisioneiro que trabalha para o federal bureau investigation, ou se preferir, FBI.

Neal é um prisioneiro que está preste a conseguir sua liberdade, depois de quatro anos na cadeia. Faltava apenas quatro meses para sua liberdade, quando por amor, ele resolve fugir. Acaba sozinho e preso novamente, pelo mesmo agente federal que o prendera da última vez, Peter Burke. Eis que surge um acordo entre eles: Caffrey ajudaria Burke a capturar os criminosos e com isso cumprir os novos anos de prisão, que ganhara com a sua fuga, ao lado do agente. Aos poucos uma relação de confiança é criada entre eles, através do sucesso na apreensão de vários criminosos de colarinho branco.


Essa série lembra bastante o conhecido filme com o Leonardo de Caprio, Prenda-me se for capaz. Mas Matt Bomer (ator que interpreta Neal) é mil vezes mais gato. [ah! Ele é meu para constar! Vi primeiro =P]



Enfim, logo você vai ser apaixonar pelos outros personagens também. A doce Isabel (mulher do Burke), Mozzie (para os íntimos Moz, amigo do Neal – eles são quase como Batman e Robin) e até os outros agentes, que aparecem menos, mas são super legais.


Tem como falar não para um carinha dessa?
White Collar estreia dia 5 de agosto, próxima quinta, então anotem nas agendas. Se você for do tipo mais apressadinho, corra para o seu site de séries favorito, com certeza eles já devem ter a primeira temporada inteira e o começo da segunda.

P.s.: AAAh esse chapeuzinho *o* hahahahahaha

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Somebody help me sing whoaaa oh oh

 A Jukebox do Clube Psicose apresenta a banda Biffy Clyro, para os íntimos, Biffy. Tudo começou em 1995 com o Simon Neil, aos 16 anos, com a banda Screwfish. Neil aprendeu a tocar violino aos 5 anos, mas os hormônios da adolescência lhe trouxeram Nirvana, Weezer e Guns N’ Roses. Formada por Simon Neil (vocal / guitarra) e os gêmeos James (baixo / vocal) e Ben Johnston (bateria / vocal) começaram a tocar juntos na escola Kilmarnock, na Escócia.

O Rock alternativo deles tem uma mistura underground e hardcore, tendo como grande influência Guns N'Roses e Metallica, só que com o seu próprio estilo: uma incompreensível mistura de ritmos fora de ordem, guitarras imprevisíveis, coros e gritos selvagens.



“Only Revolution”, lançado no ano passado, foi o cd que fez mais sucesso na carreira do trio. Tem um sentido de alegria e determinação. Como Simon explica: "A Puzzle (lançado em 2007) é sobre tristeza e depressão e estar em uma parte horrível da sua vida que todo mundo vai passar. Este (novo cd) é apenas mais esperançoso. Eu acho que toda a boa música e boa arte é um reflexo de como o criador está sentindo naquele determinado momento”.

“O título foi tirado de um livro de Mark Danielewski”, como diz Simon, “metade do livro o homem fala sobre a sua metade da história, e a outra metade é a menina dizendo seu lado. Isso realmente me tocou. Com as canções, eu estou tentando dar aspecto a ambos os amantes da mesma história. É um dar e receber que você só tem quando você está loucamente apaixonado por alguém, mas você também quer ver exatamente as mesmas coisas de maneiras completamente diferentes. E o título “Only Revolution” resumiu com perfeição
[entendeu? Bem, eu mais ou menos, mas achei bonito o que ele falou hahaha].



Simon finaliza dizendo que eles fazem tudo isso um para outro. “Nós ainda estamos no início. Estou fazendo isso para Ben e James, tanto como eles estão fazendo isso para mim. Eu acho isso importante. Às vezes, o sucesso pode cavar um fosso entre uma banda, mas por sermos amigos desde que tínhamos oito anos, tocando desde os 13 ou 14, nós não poderíamos viver um sem o outro e nós não poderíamos viver sem esta banda”.

Tendo como refrão em uma de suas músicas: “I am a mountain, I am the sea, you can't take that away from me” - clique para ver o clipe da música 'Moutains'. Esse CD é sopro de esperança dessa banda escocesa cheia de talento que vem para dominar o mundo com o seu rock alternativo.

“It really is what makes my heart beat every day”, Simon Neil.
“(The Biffy)É realmente o que faz meu coração bater a cada dia"

P.s: Seus clipes são bem excêntricos, mas acho a música deles maravilhosa!
The Captain é música que abre o novo albúm, no site oficial eles explicam direitinho o por que das músicas, mas está tudo em inglês. Já bastam minhas traduções fajutas para o que o Simon disse hahaha. 
Mais músicas e clipes: Canal do Biffy Clyro no You tube. Vale a pena conhecer as outras músicas e procurar suas traduções, são cheio de signifcados que te fazem refletir, que como diz o Simon, faz o seu coração bater a cada dia.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Prom Night in Mississipi

O preconceito e a segregação racial vem há tempos impregnando a vida dos seres humanos. Um fato é que esses pensamentos são cada vez mais escasso ou ao menos não tão evidente. Mas essas poucas evidências e a própria escassez são sinais de que essa história ainda não acabou.
 Até 1954, nos EUA, as escolas eram separadas. Brancos estudavam em uma e negros em outra. Uma lei do supremo tribunal ordenou a integração de todas as escolas segregadas nos Estados Unidos, incluindo todos os seus eventos. Uma imposição que foi muito difícil de ser aceita pelos países sulistas, marcados pela escravidão e um conservadorismo extremo.
A HBO mostra um documentário chocante de como esse conservadorismo ainda persiste em segregar. Na cidade de Charleston, Mississipi, a lei da integração só foi totalmente, ou posso dizer, parcialmente, acatada em 1970, quando finalmente, permitiram os negros a entrarem no ensino médio. Porém, apesar dessa “integração”, os famosos bailes dos colégios americanos, ainda mantiveram a política de segregação.

Em 1990, o ator, Morgan Freeman, fez uma oferta: ele pagaria a festa, contanto que fosse uma só, com negros e brancos. Era de se esperar que após duas décadas estudando nas mesmas salas, o pedido fosse aceito com gratidão e simbolizasse uma nova era. Mas não. Só em 2008, quando o ator voltou a fazer a oferta, a diretoria e alguns pais aceitaram. Os outros pais de alunos brancos impediram que seus filhos fossem ao baile integral, ainda realizaram um baile a parte.
Um documentário que trás mais que informação, uma lição de vida. Vale realmente a pena ser assim? Tudo por uma tradição mesquinha [para não dizer coisa pior]?

Prom Night in Mississipi, veja as fotos do baile e saiba mais. O primeiro baile entre brancos e negros nessa cidade, aconteceu só há dois anos. 

É difícil acreditar, que em pleno século XXI, esse tipo de situação ainda exista. O engraçado é que vemos pequenos preconceitos todos os dias e só nos espantamos quando algo maior é esfregado na nossa cara. 

P.s.: O filme Duelo de Titãs, com o Denzel Washington, é um filme que retrata o período em que a lei da integração foi aprovada. Um ótimo filme, também, que faz pensar sobre esse assunto!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Urban Outfitters

Não sei se vocês fazem a mesma coisa que eu, mas eu vivo entrando em site de lojas estrangeiras e babando pelas roupas e produtos que eles vendem, e penso “o que faço nesse fim de mundo?”. Pois bem, lá estava eu fazendo minhas compras imaginárias e achei uma loja super legal e tenho novidades sobre ela.
Vou logo à novidade: agora ela faz entregas no Brasil! [Yeah, só falta o dinheiro e cartão de crédito internacional]. A dificuldade de muitas pessoas em fazer compras em sites internacionais é fato deles não fazerem entregas no nosso lindo país tropical, sem contar, que quando fazem à entrega, o frete é uma fortuna! E nessa loja, o frete até 149 dólares é de 10 dólares, acima disso é de graça! Tudo bem que sairia uns trezentos reais a suas comprinhas, mas se você for procurar por esses mesmos produtos no Brasil, você vai pagar esse preço em uma peça.
Bem, estou falando de uma loja super pop entre as estrelas teen. Fiz uma pesquisa e segue a lista de quem usa:
Mesmo se você não for fã dessa galera, temos que admitir que eles – na maior parte das vezes – tem um ótimo gosto!
Enfim, estou falando da Urban Outfitters! Uma loja norte-americana totalmente cool, cheia de novidades, coisas engraçadas e, o melhor, cheia de promoções. No site, na parte “sale”, você encontra diversos produtos na - nossa famosa - queima de estoque. Produtos por 9,90 dólares! Não são da última coleção, mas acho que vale super a pena [para quem pode hehe].
P.s.: Gente vale a pena, nem que seja só para ver mesmo, não só as roupas, mas tem uns fones e outros objetos super legais. Essa cortina de box é a cara do Clube Psicose =D

Tenho que acrescentar esse link: ELES VENDEM BIKES TAMBÉM *O* Eeee, você custumiza ela!!!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

A indústria de corações

Pensei muito se realmente deveria fazer essa pseudo-crônica, nem sei se realmente isso seria uma crônica, não sou o tipo de pessoa que sabe distinguir tão bem uma modalidade textual de outra. Pois bem...

Todo ser humano tem um ideal de vida, certo? Alguns lutam por ele, outros já aproveitam os sonhos tão almejados. Nós como seres racionais temos essa tendência, que muitas vezes parece ser irracional, de sonhar. Projetamos em tudo o que fazemos aquilo que somos ou o que queremos ser. Com essa introdução barata de psicologia de botequim, quero chegar à seguinte questão: o que são as comédias românticas ou romances?



Muitas das vezes chego a acreditar que não é apenas um reflexo daquilo que, principalmente nós mulheres, queremos viver, mas uma indústria querendo alimentar “sonhos surreais” e, ainda por cima, ganhar com isso.
O pior é que essa lavagem cerebral de “o príncipe encantado”, “o homem de nossas vidas” e “felizes para sempre” começa desde quando somos inocentes crianças. Ouvimos histórias sobre princesas oprimidas por alguma razão injusta, que encontram o amor de suas vidas, algumas passam por dificuldades até encontrar o seu encantado, outras chegam logo ao finalmente, mas todas têm os seus “felizes para sempre”. Ah! E com um gato alado.
Quando crescemos e temos a nossa primeira decepção amorosa, vem um ser humano sábio e diz: “Oh querida, você irá encontrar muitos sapos até achar o seu príncipe”. Mais uma vez nossas esperanças são reforçadas.

Ele não está tão afim de você - início {clique e veja o vídeo antes de seguir a leitura, é rápido}

Assistimos a filmes que também passam a mesma mensagem. Quando você acha que a mocinha vai se ferrar e toda aquela história maravilhosa e encantada que sempre ouviu, finalmente vai por água-abaixo, ela acaba se casando em uma praia no Hawaii com aquele gato que está fazendo todas as comédias românticas do ano.



Vemos os filmes acreditando, ou ao menos sonhando, que realmente aquela situação engraçada e embaraçosa que a atriz principal passa e que resulta em um charmoso beijo, vai acontecer. Até ouvimos casos parecidos, vemos em programas vespertinos que quando não estão querendo ser sensacionalista, resolvem passar esse tipo de coisa; Mas esquecemos que aquilo são exceções! A regra é sermos infelizes no amor! Onde aprendi isso? Em um filme de comédia romântica, onde justamente a regra, vira exceção no final.

Ele não está tão afim de você - Exceção {clique e veja o vídeo antes de seguir a leitura, é rápido}

Como não ter raiva, inveja, amor, sonhar com romances? Por mais impossíveis que eles sejam, fomos treinadas a acreditar nessas histórias. Não sei se depende de nós ou do destino, não sei sapos viram príncipes ou se um dia alguém vai invadir a sala de som da sua escola e cantar “I Love You Baby” enquanto você está na educação física... Podia dar uma de Sócrates e dizer que só sei que nada sei, mas eu sei! Sei que quero ter um amor desses de cinema!



P.s: Assistam os videos, fiz uma seleção de filmes... Espero que gostem!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Backseat Goodbye

A Camila clamou por mais dicas de música [rs], então ai vamos nós...
Sabe aquele tipo de música que não foi feita para ser avaliada? Aquela que você coloca para ouvir no carro durante uma viagem de um dia de sol... Ou mesmo em um dia triste em que você olhe pela janela e aquelas gotículas da chuva descem lentamente pelo vidro; nas músicas mais lentas você fica ali pensando nas coisas ‘bad’da vida e em seguida vem aquela mais animadinha que você começa a bater o pé no chão e quando vai ver está dançando sozinha no seu quarto como se todos os problemas do mundo tivessem acabado? Isso é só uma coisa hipotética, não que seja o tipo de coisa que eu, Daniele, faça {cof cof}. Enfim, esse tipo de música, que não foi feita para você pensar nela, apenas curtir o momento e deixá-la como plano de fundo.
Estou falando de Chad Sugg, conhecido por Backseat Goodbye. Eu o segui por um tempo no twitter, ele é super fofo. Ao meu olhar ele não um cara bonito, mas tem gosto para tudo, mas acredito que sua simpatia compense [Twitter Backseat Goobye].
Tudo começou em 2004, quando ele estava na faculdade do Tennessee, com um projeto-solo em paralelo com as aulas, mas quando passou a ser mais importante que os livros e cadernos, Chad deu adeus e pegou a estrada com o apelido: Backseat Goodbye.
Aprendeu a tocar diversos instrumentos (sozinho) e todos os usados em suas músicas são tocados pelo próprio. Nelas o violão e o piano recebem destaque o que as deixam bem agradáveis, no fundo a bateria dá um ritmo mais pop. Nessa mistura seu estilo é definido como folk acústico.

Pesquisando em seu site descobri que além de cantor chegou a escrever três livros e possui um blog {clique aqui e conheça o blog}, o seu último post chamou minha atenção, por sinal. Ele começa falando da pergunta mais comum no meio artístico: “De onde vem sua inspiração?”. Primeiro ele conta uma história de estar olhando pela janela, ver um enxame vindo em sua direção e quando vai ver em 45 segundos escreveu um poema que não tem nada haver com as abelhas. O que ele quis dizer, explicando no último parágrafo, é que a inspiração não deve ser forçada: “É concebida para ser uma coisa natural. A inspiração é uma coisa estranha, e muito amável por isso. Seja paciente com ela, e ela vai ser gentil com você”.

Obs.: Vocês pode pesquisar mais músicas no Youtube no seu canal Backseat Goodbye, mas quem quiser o álbum, segue o link: Dressed Up Like Dreams (2008) [by mp3locker].

terça-feira, 13 de julho de 2010

We wanna Rock n' Roll all night


Em 13 de julho de 1985, Bob Geldof organizou o Live Aid, um show simultâneo em Londres na Inglaterra e na Filadélfia nos Estados Unidos. O objetivo principal era o fim da fome na Etiópia e contou com a presença de artistas como The Who, Status Quo, Led Zeppelin, Dire Straits, Madonna, Queen, Joan Baez, David Bowie, BB King, Mick Jagger, Sting, Scorpions, U2, Paul McCartney, Phil Collins (que tocou nos dois lugares), Eric Clapton e Black Sabbath.
Foi transmitido ao vivo pela BBC para diversos países e abriu os olhos do mundo para a miséria no continente africano. 20 anos depois, em 2005, Bob Geldof organizou o Live 8 como uma nova edição, com estrutura maior e shows em mais países com o objetivo de pressionar os líderes do G8 para perdoar a dívida externa dos países mais pobres erradicar a miséria do mundo.
Desde então o dia 13 de julho passou a ser conhecido como Dia Mundial do Rock.

Fonte: Wikipedia

E por hoje ser o Dia Mundial do Rock, esse ritmo que está quase chegando aos 60 anos de idade(o rock nasceu em 1950), o Clube Psicose vai prestar uma homenagem ao estilo que arrepia o cabelo e deixa surdo. Aproveitem :)



Um dos primeiros sucessos foi Rock around the clock-Bill Haley



Elvis não morreu.



Beatles are Beatles. Reis do iê-iê-iê hahaha (eu particulamente não gosto desse nome)



Talvez alguém aí que veja CSI reconheça essa música. Ela é a abertura da série. ;)



Jimi Hendrix



Led Zeppelin



Mick Jagger, o maior pé frio da Copa do Mundo de 2010. Graças a ele também temos o SuperPop, minha gente. Deveríamos dizer thanks? hahahahah #brinks




Aerosmith



AC/DC- Uma curiosidade: A trilha sonora de Iron Man2 é toda do AC/DC.

Enfim, existem muitas outras bandas, tanto modernas quanto clássicas, e infelizmente não dá pra colocar tudo aqui. Se você acha que está faltando alguém/alguma banda, deixe um comentário, assim é um jeito de homenagear sua banda favorita também. ;)

Um novo amanhecer para Bella: "Welcome to the Rileys"

Bella se cansou do príncipe a volvo e seu celibato, deixou Forks para trás e agora, conhecida como Mallory, mora em Nova Orleans e trabalha como stripper?
 Não, caros amigos. Bella ainda está espera do Amanhecer e enfim tirar a virgindade de um cara com mais de 90 anos. Quem mudou de ares foi a atriz que a interpreta. Kristen Stewart trocou a papel apático da mocinha mais top dos últimos tempos, para viver uma adolescente de 16 anos bastante problemática que trabalha como stripper e prostituta.
Como ela foi parar nesse filme?
‘O diretor Jake Scott, filho de Ridley Scott, disse que passou cogitar Stewart para o papel de Mallory quando Sean Penn a recomendou depois de se impressionar com sua atuação em "Na natureza selvagem”.’
O filme fez bastante sucesso no Festival de Berlim no começo do ano e estreará nos EUA em novembro. A história é, basicamente, sobre um cara, Doug Riley, que durante uma viagem, conhece a Mallory e a acolhe sob sua proteção. Ele, Riley, e sua mulher estão passando por um momento difícil em suas vidas e logo “saberemos que o afeto pela garota se deve ao desejo de encontrar uma substituta para a sua própria filha, morta num acidente de carro aos 15 anos”.
Kristen está conquistando seu espaço no mundo hollywoodiano com filmes alternativos. Esse ano a atriz também estrela “The Runaways”, em agosto nos cinemas brasileiros, onde interpreta a guitarrista Joan Jett. Uma cinebiografia sobre a banda The Runaways na década de 70, formada só de mulheres.

Talvez tenhamos um novo Amanhecer para Kristen, além de suas caras blasé da personagem Bella.
Obs.: Não é que eu não goste de Crepúsculo, gente, é que sei lá, acho a atuação da Kristen meio fraquinha =/

Recado
A promoção QI será encerrada amanhã, dia 13, as 22h00. Formulários enviados após esse horário não serão considerados!
Promoção QI - clique aqui

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Atração pelo fútil


Durante todas as férias eu fiquei vendo um programa americano sobre moda o What Not To Wear ou simplemente, Esquadrão da Moda. Apesar de estar acompanhando por quase um mês a atração eu só pude perceber o quanto isso foi fútil hoje. Posso ter demorado, pode ter surgido do nada, mas o importante é que a ficha caiu.

No início do programa os apresentadores e consultores, Stacy e Clinton, vêem vídeos que mostram como as pessoas se vestem mal em pleno século XXI. Se quer saber, o programa é basicamente para pessoas que não sabem que não estamos mais na época das ombreiras e cinturas altas com cós no umbigo, ou que não se usam mais tanto spray pra cabelo. Fora os casos de pessoas que se vestem com roupas de adolescentes com quase 40 anos na cara. Confesso que às vezes fico horrorizada. Onde está o senso das pessoas?
Daí que começa todo o meu problema. Afinal, quem sou eu pra julgar essas pessoas? Não tenho nada a ver com a vida delas, não deveria me interessar se elas estão ligadas em qual é a última moda em Paris! Justamente por causa disso eu acho que as pessoas não deveriam se meter, nem eu nem Stacy nem Clinton.
E apesar da minha consciência pesada por estar assistindo ao programa eu continuo assistindo até o final. Porque de alguma forma é interessante ver como as pessoas se comportam tendo que mudar hábitos. Muitos dos métodos utilizados são cruéis, comentários ácidos e um espelho que te deixa claustrofóbica são exemplos disso. Depois da mini sessão de tortura moral, chega a parte de deixar os prisioneiros livres. Dois dias de shopping na Big Apple com um cartão Visa com 5000 dólares na conta. Seria uma perdição pra qualquer um, mas os participantes não podem esquecer das trilhões de regras que os apresentadores ensinaram em apenas 3 looks.
Nessa parte também meus pensamentos críticos rolam soltos. Muitos dos que participam do show compram roupas em brechós ou vendas de garagem. Isso mostra que ou eles são tremendos mãos de vaca, que não querem comprar roupas novas por acharem besteira gastar suas lindas verdinhas, ou porque eles não são ricos. Fica quase óbvio que a maioria deles se vestiria bem se tivesssem 5000 dólares em suas contas todos os dias.
Outra parte bem interessante é a da maquiagem e cabelo. Como eu queria ter alguém que cortasse meu cabelo sem medo de errar e soubesse fazer o certo logo de cara. Invejo também ter uma sessões dermatológicas de peelings gratuitas se necessárias (não que eu já tenha feito um na vida) ou simplesmente alguém me maquiando e dizendo faça assim que você realçará seus olhos e suas maçãs do rosto. Nada de revistinhas e moda que te ensinam o passo a passo mas na hora de por em prática as coisas saem bem diferentes (nisso sim eu posso dizer que já tentei).
Depois de linda e glamurosa chega a hora do encontro com a família e amigos. Se quer minha opinião, puro exercício da falsidade. Pra mim, as pessoas só estão ali para aparecerem na TV e terem seus 15 segundos de fama. Outros, confesso que, enxergo a verdade e não mostram o entusiasmo nem um pouco verdadeiro ao chamarem o transformado para a sala. Só que existem os: "OMG! OMG! YOU LOOK SO BEAUTIFUL!! IT'S AMAZING!" tipo, oi vou fingir que deu certo, beijosmeliga.
E apesar de tudo isso, continuo assistindo a esse tipo de coisa. Porque eu também continuo sonhando em ter 5000 dólares num cartão de créditos e a possibilidade de ter meu visual modificado sem ter que me preocupa se estou fazendo a coisa errada. Pois é, nem todos estamos livres da futilidade.

domingo, 11 de julho de 2010

Huge

O mundo por muito tempo tem aturado uma ditadura da moda, onde ter uma cintura da largura de um braço e um braço da largura de um dedo é considerado algo bonito. Onde? Sinônimos de beleza com o seu requebrar de ossos, também demonstram o pouco de amor que as modelos sentem por si mesmas.
Em décadas distantes - época que eu nem sonhava em nascer, mas adoraria ter nascido – curvas e volumes eram bem apreciados e, além de transbordar saúde, as mulheres eram completamente sexy com seus seios fartos e quadris delineados. Hoje vemos uma barriga chata, com as costelas aparecendo, sem bunda, sem brilho... sem beleza.
(Talvez esteja sendo muito radical, as modelos são bonitas, modelos magras não são feias! Mas vamos convir que quando a magreza vira uma obsessão e único modelo a seguir, belo se torna feio)
Todo esse meu discurso politicamente correto, contra anorexia e bulimia no mundo da moda, tem por objetivo ressaltar a nova onda de modelos que vem por ai, as PLUS SIZE. Elas não cabem em calças trinta e seis, mas nem por isso deixam de esbanjar beleza.

E não são apenas as passarelas e os editais de moda que estão abrindo espaço para essas lindas mulheres. No filme Hairspray, a atriz principal Nikki Blonsky faz uma adolescente gordinha que sonha brilhar num programa de TV na década de 60, onde as mulheres também eram bastante estereotipadas. A leveza como Nikki dança e canta, encanta a qualquer um que assista ao musical.
Ainda posso citar inúmeros filmes como Bridget Jones, onde Rénee Zellweger teve que engordar alguns quilinhos para fazer o papel; ou Jennifer Hudson em “Dreamgirls”, chegou até a ganhar o Oscar, deixando Beyoncé no chinelo {rs}; Queen Latifah... Eu poderia ficar aqui horas!
Mas tudo isso foi apenas uma introdução, mas não vou me delongar mais. O canal americano ABC acaba de lançar o seriado Huge. Achei super interessante, porque finalmente eles deram espaço em um seriado para o que é a grande parcela da população americana, viciados em fast food e candies. Foram lançados dois episódios – você pode acompanhar por esse site VM series – e mostra o dia-a-dia de adolescentes que lutam contra obesidade em um acampamento. E mostra todo o transtorno que eles passam, uns buscam qualidade de vida, outros estão apenas querendo ser igual a garota da capa da revista teen.

Com o nome que significa Enorme, Huge, vem para mostrar que é preciso ter saúde e, principalmente, se aceitar.
=)

RECADO
Não deixem de participar da promoção do blog! =D 
Promoção QI - clique aqui

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Vampires Suck

“Peguei o pacotinho, revirando os olhos para Edward enquanto passava o dedo sob a beira do papel e o puxava da fita.
- Droga – murmurei quando o papel cortou meu dedo. Puxei-o para examinar os danos. Uma única gota de sangue saía do corte minúsculo.
Então tudo aconteceu com muita rapidez. Jasper imaginou que eu fosse um Mc Tasty de tamanho humano, pegou um garfo e uma faca e veio em minha direção."
 Tem algo estranho nessa história? Isso porque você ainda não viu o trailer do filme Vampires Suck. Não é de hoje que filmes badalados são alvo de paródias e com certeza os Cullen e Cia não ficariam fora dessa.
A clássica cena onde a Bella, ou melhor, Becca corta o dedo, Jasper a vê como suculento cheeseburge. O trio bad também não está fora dessa: são confundidos com integrantes da banda pop Black Eyed Peas por uma de suas vítimas. Até Lady Gaga se mete no meio da trama.
Aposta feita pelos estúdios 20th Century Fox promete ganhar muito dinheiro em cima das situações ridículas que o casal top10 irá passar.

A estreia está prevista para o mês de outubro. Eu, particularmente, adorei!

Outras dicas são: O vídeo cheio de opiniões – muito engraçado – do Felipe Neto comentando a Saga e o livro Ocúspulo: A parodia. 

RECADO
Não deixem de participar da promoção do blog! =D 
Promoção QI - clique aqui

90 clássicos para apressadinhos

Ler clássicos para alguns pode não parecer algo tão prazeroso. Recheados com suas palavras complicadas e quem nem mesmo no tempo da sua avó ela falava... Os clássicos são bem tediosos.
Porém, de uma forma ou de outra, para sermos considerados seres cultos, tempos que ter certa noção. Muitos apelam para as tradicionais versões cinematográficas ou os famosos resumos na internet.
Mas se eu disser que, talvez, ler Moby Dick possa ser mais divertido – se bem que, quem já leu Moby Dick? Adoro a versão do Tom e Jerry...


Enfim, não é sobre o Tom e Jerry que vim falar – se bem que, isso bem nostálgico. Mas sim do novíssimo livro de  Henrik Lange e Thomas Wengelewski, com seus traços despretensiosos e texto espirituoso - respectivamente - os dois reuniram em um livro único 90 livros clássicos para apressadinhos, todo feito em HQ.
Não é tipo de livro que recomendaria para estudar para o vestibular ou uma prova importante, mas acho uma ótima maneira de aproximar os clássicos para nossas vidas. Sem contar que, quem conseguiria pagar menos de trinta reais por 90 livros?
Simpático, engraçado e... Não posso dizer inovador, já que existem vários livros em HQ baseados em clássicos, inclusive brasileiros. Mas posso arriscar dizer que de maneira satírica e com tantos livros ao mesmo tempo, não há algo igual. Vale a pena ler!

RECADO
Não deixem de participar da promoção do blog! =D 
Promoção QI - clique aqui

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Mostra Audrey Básica

 Quem ouve o nome Audrey Hepburn, muitas vezes pode nem associar o nome a pessoa, mas se mencionarmos “bonequinha de luxo” é impossível não saber de quem se está falando. Mais conhecida pelo seu trabalho no cinema, Audrey, foi muito mais. Atriz, modelo e humanista. Um exemplo de mulher!
Como embaixadora da UNICEF, trabalhou incansavelmente como voluntária em causas infantis. Falava francês, italiano, inglês, neerlandês, espanhol e chegou a aprender um pouco do português, mas achava muito difícil devido aos inúmeros verbos irregulares. Com um rosto de bonequinha, era uma pessoa humilde, gentil e charmosa, que tinha um amor incondicional pelo próximo.
Nossa eterna bonequinha de luxo terá nessa semana uma mostra com os seus melhores momentos dos quarenta anos de sua carreira. Onde no começo era considera um “patinho feio” por estar fora do padrão da época. “Com o passar do tempo Hollywood se rendeu à simpatia de Audrey e, até hoje, ela é exemplo de beleza e elegância”.
“Durante seis dias o público poderá conferir alguns clássicos interpretados pela atriz Audrey Hepburn. Entre eles, A princesa e o Plebeu (1953), filme que lhe rendeu um Oscar de melhor atriz, e Bonequinha de Luxo (1961), que a eternizou como um ícone da moda.”
 A mostra “Audrey Básica” acontece entre o dia 6 e 11 de julho, das 15h às 19h30, com entrada gratuita, no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), Rio de Janeiro.




Obs.: Para quem não é da cidade faça sua própria mostra, chame os amigos, passe em uma locadora e se delicie que essa tchuquesa.